“Andar por aí” n’ “As duas estradas”

andar

“Andar por aí”,

De Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso

É possível que seu navegador não suporte a exibição desta imagem.Andar por aí é ir ao encontro do mundo.

É saborear as pequenas coisas, as pequenas descobertas. É fazer o que pedem os pés, ir atrás do procuram as mãos, seguir a vontade dos olhos.

O rapaz deste livro costuma andar por aí com o seu avô.

Não se trata de um passeio na companhia um do outro, mas de algo bem diferente: o avô vai sempre à frente, entretido com os seus afazeres; o rapaz vai mais atrás, ocupado com tudo que vai encontrando pelo caminho.

Sejam montes de areia, pedras, minhocas ou poças de chuva, para o rapaz tudo é motivo de interesse, motivo de paragem e espanto.

Vai quase sozinho, o rapaz, aquele quase-sozinho que nos faz sentir seguros, mas livres: «Dou passos grandes, passos pequeninos, arrasto os pés pelo chão, dou dez voltas ao sinal proibido, conto os pinos do passeio e, quando chego ao 23, digo, contente: “Já são mais do que os meninos da minha sala”».

O rapaz aprecia tanto estas aventuras, que estranha não encontrar outros companheiros lá fora: «Os meus vizinhos de cima é que ainda não perceberam bem a piada que é andar por aí. Se os chamo, dizem: Que está a dar desenhos animados… Que é quase hora do lanche… Que está muito vento… Ou que vem lá chuva…». Conseguirá fazê-los mudar de ideias ?

Conseguirá fazê-los apreciar a maravilha que é andar, vaguear, vadiar por aí…?

Um livro que fala da liberdade que encontramos na rua.

Um livro que é também uma homenagem ao verdadeiro tempo livre, aquele que realmente faz crescer.

Título: Andar por aí
Texto: Isabel Minhós Martins
Ilustrações: Madalena Matoso

Formato: 220 x 280
N.º  de páginas: 32
ISBN: 978-989-8145-03-1
PVP: 12.
90 €

estrada1estrada2

“As Duas Estradas”,

De Isabel Minhós Martins e Bernardo Carvalho

1.º  Volume da Trilogia “Histórias Paralelas”

A estrada antiga e a estrada nova.

Dois caminhos possíveis para chegar ao mesmo destino.

Duas viagens quase paralelas, cada uma com as suas peripécias.

Quem andou mais quilómetros?

Quem chegou mais depressa?

Quem encontrou mais surpresas?

Quem ficou mais cansado?

Quem aproveitou melhor o tempo?

Quem nem deu pelo tempo passar?

Quem enjoou pelo caminho?

Quem chegou “num tirinho”?

As respostas encontram-se estrada fora.

Apertem os cintos, vamos lá  arrancar…

Orientações

É indiferente por onde se começa a viagem:

se seguirmos pela capa encarnada, entraremos primeiro na estrada antiga, a sinuosa e já um pouco mal tratada N126; se escolhermos a capa azul, entraremos sem grandes hesitações na auto-estrada A1.

Mal cheguemos ao destino, não devemos esquecer, porém, que há uma outra viagem a fazer: a da capa contrária, que espera por nós já ao virar do livro.

Título: As Duas Estradas
Texto: Isabel Minhós Martins
Ilustrações: Bernardo Carvalho
Formato: 215 x 195
N.º  de páginas: 32
ISBN: 978-989-8145-09-3
PVP: 11.
90 €

~ por Rogério Silveira em Quinta-feira 2 Julho, 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: